Este website utiliza cookies para melhorar a sua experiência.

POLÍTICAS

As políticas que adotámos em relação à qualidade, ambiente, segurança do produto e segurança e saúde no trabalho constituem, para todos os públicos que trabalham diariamente connosco, verdadeiros guias para estabelecer estratégias e orientações. Estão na base do nosso processo de tomada de decisão e refletem o nosso objetivo: proporcionar bem-estar. 


SEGURANÇA DO PRODUTO

Garantimos a segurança dos produtos e serviços que desenvolvemos e comercializamos. De acordo com a nossa política relativa à segurança dos produtos, analisamos e garantimos a segurança de utilização de todos os nossos produtos, utilizados nas quantidades e meios de utilização recomendados e nas condições de utilização razoavelmente previsíveis.

Desde dezembro de 2006, já não efetuamos testes em animais para determinar o nível de segurança e eficácia durante a fase de desenvolvimento dos nossos produtos nem de matérias-primas exclusivas. Esta decisão está totalmente conforme com a nossa razão de ser: desenvolver e comercializar produtos e serviços que favorecem o bem-estar.

Recorremos às técnicas de avaliação mais avançadas do mundo, nomeadamente a modelos informáticos, de investigação e reavaliação permanente das informações publicadas na literatura científica do mundo inteiro e dos testes in vitro, que são também aceites pela comunidade científica internacional. Além disso, dispomos de uma equipa de científicos que trabalham com tecnologias de ponta para produzir avaliações sempre mais precisas e eficazes.


Temos um Comité de Segurança dos Produtos (CSP), encarregue de definir as estratégias e as orientações relativas à segurança dos ingredientes e dos produtos acabados, bem como uma Direção da Segurança dos Produtos (DSP) que assegura a implementação dessas estratégias e orientações. Esses dois órgãos tomam decisões vinculativas que devem ser seguidas por toda a organização de forma a garantir a segurança do consumidor.


PRIORIDADE EMPRESARIAL

Na Natura Brasil, a inovação é uma prioridade empresarial. Todos os anos são lançados muitos projetos pelo Departamento Inovação. 

Aplicamos o princípio da inovação aberta.
Propomo-nos ajudar a comunidade científica estabelecendo um diálogo, reunindo investigadores e centros de investigação para promover o bem-estar e as relações. “Saímos de uma era individualista e entramos numa de convivialidade, em que as pessoas querem estar juntas para fazer mais coisas. O nosso papel não se limita a fornecer um produto de consumo. Hoje, as relações estão a mudar”, afirma Denise Figueiredo, diretora do nosso Centro para a Inovação.
Os desafios ultrapassam o desenvolvimento de novos produtos e serviços. Desenvolvemos um sistema de produção sustentável de óleo de palma, pedimos o contributo de investigadores para trazer inovações ao dia a dia das comunidades tradicionais da Amazónia e criámos uma biblioteca virtual de terapias corporais com o objetivo de valorizar as relações humanas.


INVESTIMENTOS E PROJETOS

A nossa estratégia consiste em fazer recuar as fronteiras da INOVAÇÃO para criar novos conceitos e novos produtos.
A inovação enche toda a nossa organização. Está presente na nossa estratégia comercial, nas técnicas de extração das nossas matérias-primas, nos nossos processos de produção, na nossa logística… e deve servir o nosso objetivo empresarial: a sustentabilidade.
Mais recentemente, os projetos de inovação tem-se centrado nos três principais temas: estudo do bem-estar, tecnologias sustentáveis e tecnologias cosméticas.
Em 2013, os nossos investimentos chegaram aos R$ 181 milhões (€), ou seja 3% do nosso volume de negócios líquido. A inovação recebe também o apoio financeiro de organismos, tais como a Finep (Empresa Financiadora de Estudos e Projetos), que libertou R$ 205,8 milhões para o financiamento da investigação e dos projetos para 2014 e 2015.


INVESTIGAÇÃO E DESENVOLVIMENTO

Todos os anos, investimos entre 2,5% e 3% do nosso volume de negócios líquido em ciência e inovação. Em 2012, esse investimento representou um total de 154 milhões de reais, ou seja, um aumento de 5% em relação a 2011.

Números para 2011:

Investimento Inovação: R$146,6 milhões

Quota-parte do VN investido na inovação: 2,7%

Índice de inovação: 64,8%

Número de produtos lançados: 164


PARCERIAS

Também estabelecemos uma parceria com a Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) para a criação do centro de investigação aplicada ao bem-estar. Um investimento de 20 milhões de reais está previsto num período de dez anos. Este centro de investigação científica e tecnológica tem o objetivo de avaliar as vantagens do bem-estar em várias áreas, tais como as neurociências, a psicologia positiva e a psicometria.
“O objetivo é compreender as normas culturais e sociais que serão depois aplicadas a novos produtos, conceitos e serviços”, explica Luciana Hashiba, responsável pela Inovação e Relações, sublinhando que os resultados serão também disponibilizados a organismos públicos e privados, de modo a partilhar os resultados, conforme à nossa vontade de inovação aberta.


CENTROS DE INOVAÇÃO

Quando desenvolvemos uma inovação, envolvemos frequentemente todas as partes interessadas (ex.: universidades, institutos de investigação, laboratórios de ensaio, empresas, organismos externos, equipa de vendas, consumidores, etc.). Permite dar a palavra a todos e criarmos soluções em conjunto.
Para reforçar a nossa capacidade de aproveitar as tendências no mundo, iniciámos ligações mundiais em matéria de inovação. Em 2013, inaugurámos um Centro de Inovação em Nova Iorque (Estados-Unidos) para captar as tendências da moda, dos cosméticos, da produção, etc. Desde 2012, somos membro do consórcio Media Lab, um laboratório de investigação digital no MIT (Massachusetts Institute of Technology), em Boston, Estados-Unidos. Temos uma parceria na Austrália, no seguimento da aquisição da Aesop. No Brasil, temos o nosso Centro Mundial de Investigação em Cajamar (São Paulo), o maior na área dos cosméticos na América Latina, e NINA (Centro de Inovação Natura Amazônia) em Manaus, no coração da Amazónia.


FORBES

A Natura faz parte da lista das 10 empresas mais inovadoras do mundo, de acordo com o novo ranking publicado pela revista Forbes. A classificação baseia-se num estudo detalhado dos resultados financeiros e da perceção do mercado, de analistas e de investigadores. A Natura ocupa a 8.ª posição, sendo a única empresa brasileira da lista. O Departamento de Inovação da Natura no Brasil conta com mais de 300 pessoas, biólogos, farmacêuticos, engenheiros, sociólogos, psicólogos, e é responsável pelo lançamento anual de mais de 100 novos produtos. “A inovação é o coração da Natura. Está presente em todas as atividades da nossa empresa, bem além dos seus produtos. Desempenha um papel fundamental na nossa estratégia de crescimento e traduz o nosso empenho em atender às exigências dos nossos consumidores.” , Gerson Valença, VP do Departamento de Inovação.


A carregar
A carregar