Este website utiliza cookies para melhorar a sua experiência.
As diferentes culturas atribuíram desde sempre às águas um poder misterioso. Tomar um banho representa bem mais do que apenas lavar o corpo. Significa também libertá-lo das impurezas e dar-lhe poderes mágicos, associados à beleza, ao prazer, à felicidadeO banho sempre envolveu algo de sagrada e mágico, especialmente quando está associado aos poderes das plantas. Na tradição das religiões afro-brasileiras, do batuque e da jurema no norte, ou do candomblé e da umbanda por todo o Brasil, os banhos de plantas lavam, curam, fortificam; outros descarregam, afastam os perigos, trazem sorte. O ariaché, o amacis e o abô são utilizados para lavar o corpo, a casa, os tambores e as pedras sagradas, servindo as pedras para consultar o destino guardado por Ifá. É preciso tomar um banho de imersão dos ombros até aos pés, enquanto os colares e as pedras ficam imersas durante 16 dias num banho de folhas sagradas.  Os poderes mágicos estão também presentes na tradição do banho perfumado do norte do país. Preparado na altura da São João, o banho tem também uma função de proteção e dá sorte. Patchuli, madeira de Angola, sementes de cumaru, raízes de priprioca, jasmim, sândalo, cedro, baunilha, estas são algumas das plantas da Amazónia que entram na receita do banho perfumado, o “aroma perfumado” do Pará, que tem o poder de afastar o azar e o mau-olhado e de trazer a felicidade. Para prepará-lo, é preciso colocar a macerar todas as plantas e deixar ferver em água, até que o aroma se separe do líquido, que deve depois repousar. É recomendado tomar um banho à meia-noite e não secar o corpo com uma toalha. Se as devoções do mês de junho são crísticas, e se o banho perfumado da São João é assimilado aos banhos dos locais de culto do batuque e da jurema, pelo contrário, as histórias sobre as plantas que entram na sua preparação são certamente indígenas.

O prazer do Banho Brasileiro

O banho, momento do duche, é um autêntico ritual no Brasil. Com efeito, com o clima tropical quente e húmido, os brasileiros têm habito de tomar um duche com frequência – até 3 vezes por dia! Mas para eles, o banho prolonga-se bem para além do duche. É quase uma filosofia em si de cuidar do seu corpo, do refrescar e do purificar graças ao banho.
Com o verão a chegar, esta necessidade de frescura também se faz sentir em nós, na Europa. E podemos também aplicar facilmente o método brasileiro para transformar o nosso duche quotidiano num verdadeiro banho!

Primeira etapa

Primeiro, esteja com um bom estado de espírito. O duche é obviamente útil para ficar limpo. Mas é antes de mais um momento de relaxamento, de evasão! Os perfumes tipicamente brasileiros são perfeitos para transportá-lo num instante para um universo exótico: maracujá, castanha (ou noz do Brasil), cacau ou ainda pitanga, pequena fruta exótica canelada e acidulada, ou mate verde. Cada ingrediente garante-lhe uma experiência inédita! E cada textura: untuosa, geleia fresca ou ainda esfoliante, traz-lhe um bem-estar específico.

Segunda etapa

Na pele húmida, no duche, para as mais apressadas ou aquelas que procuram um relaxamento intenso, pode começar por hidratar a sua pele com um óleo de duche trifásico ou com um hidratante de duche, que precisa de ser enxaguado. Depois, torna-se inútil aplicar um creme: a sua pele já está subtilmente hidratada. Como complemento e para uma hidratação ainda mais intensa, pode aplicar um creme hidratante, .

Toque final

Para prolongar esse momento de bem-estar e de frescura, perfume-se com uma fragrância leve, tipicamente brasileira, como os Frescores. Basta fechar os olhos para sentir a frescura e o exotismo!

A carregar
A carregar